As conversões ao Catolicismo

A degradação moral
29 de julho de 2019
Ao encontrardes um sacerdote
2 de agosto de 2019

 

 

 

As conversões ao catolicismo

 

Por Pe. Fr. Marcelo Aquino, O. Carm.

 

 

O universo das conversões, o costume de se converter, não é novidade na história da humanidade, todos os dias acontecem conversões em todas as religiões, aqui, porém se apresenta um problema, será que são verdadeiras mesmo essas tais conversões? Na verdade o que significa se converter?

Converter é mudar, mudança de vida, mudança de percurso. Para os ignorantes, converter-se significa mudar de igreja, mas isso não é conversão de verdade, a pessoa pode mudar de igreja, mas continuar sendo a mesma pessoa de antes da “conversão”, como na verdade o processo de conversão vai muito mais além do que uma simples mudança de igreja.

Portanto, tomando posse do verdadeiro significado de conversão, vamos descobrir que dentro da Igreja tem muita gente que precisa de conversão, mas veja bem, isso não significa que essas pessoas precisam deixar de ser católico, mas que precisa mudar de vida, ele se diz católico, mas vive como se fosse pagão, se diz católico, mas vive como se fosse protestante, rejeitando pontos essenciais da fé católica, como por exemplo, a pessoa diz que é católico, mas não crer na eficácia do sacramento da reconciliação e diz: eu me confesso diretamente com Deus, pois bem, alguém precisa dizer a essa pessoa que ele é um herege, dizer isso é um ato de caridade, pois a pessoa precisa cair em si, e ver que isso é mentalidade protestante.

Como disse o padre Antônio Vieira, antigamente convertíamos os pagãos para batizá-los, hoje somos convidados a converter os batizados, pois embora à pessoa seja batizada, isso é garantia de que ela sabe os fundamentos da nossa fé, isso não significa que ela sabe por que é católica. Ou seja, na verdade a pessoa nem sabe o que é ser católico, ela pensa que ser católico é fazer o sinal da cruz com a mão esquerda quando passa na frente de uma igreja católica. Mas ser católico é infinitamente muito mais que tudo isso.

A conversão existe em todos os credos, diferentemente do que acham os protestantes, não só “católicos” viram protestantes, como também e em maior escala, protestante se tornam católicos, pois no protestantismo, quando um pastor se torna católico, geralmente ele arrasta atrás de si, toda a sua “igreja”, pois no protestantismo se segue mais ao pastor que ao próprio Jesus, e assim temos diversos relatos de pastores que se converteram e toda aquela “igreja” veio com ele.

Existem muitas pessoas que pensam que são católicas, mas na verdade não o são, pois negam as verdades da fé, acreditam piamente que o papa pelo fato de ser papa tem o direito de mudar a doutrina da Igreja, ora a doutrina da Igreja é infalível e irrevogável, um papa não pode dizer que agora podemos ordenar mulher, pois isso não faz parte do mandato divino, um papa não pode dizer que todos os caminhos levam a Deus, pois se dizer estará fazendo oposição a Nosso Senhor que disse: Eu sou o caminho a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai se não por mim. (Jo 14,6).

Se verificarmos que entre nós há católicos que negam a existência do inferno, precisamos corrigir essa falha no conhecimento deste pobre miserável, pois Nosso Senhor nos diz: Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, não podendo fazer mais que isso. Vou mostrar-te a quem deveis temer: temei aquele que, depois de tirar a vida, tem poder de lançar-vos no inferno. (Lc 12, 5).

No entanto, é preciso refletir bem o valor dessas conversões, pois muitos protestantes se tornam católicos, e quer tornar a Igreja Católica, protestante, isso significa que aquela pessoa não se converteu verdadeiramente. Por exemplo, existe uma pessoa que diz que se converteu em católico, mas diz eu não uso crucifixo, e se uso, quero sem Jesus, está mais que evidente que essa pessoa não se converteu verdadeiramente, ela está ainda contaminada pela mentalidade danosa dos protestantes.

Quando uma pessoa se converte verdadeiramente ao catolicismo, primeiro ela busca em primeiro lugar, reeducar a sua fé, passa a fé a limpo, corrige os desvios, eu não posso ser católico e dizer, Maria é mãe de Jesus, mas não mãe de Deus. Isso é uma grande heresia, é dizer que Jesus não é Deus, e nós sabemos verdadeiramente que Jesus é verdadeiro Deus e verdadeiro homem.

Um dito católico convertido, não pode sustentar a tese de que a Igreja Católica não é a única Igreja de Cristo, pois isso é trair os santos Evangelhos. Nosso Senhor fundou uma só Igreja e a essa deu são Pedro como governante, e além de dá o governo da Igreja Nosso Senhor fez mais, ele deu também as chaves do Reino dos Céus.

Como pode um católico dizer que as outras “igrejas” também são de Jesus? Se isso acontece é porque esse dito católico precisa urgente se converter, precisa urgente ser catequisado, ou então ser excomungado. A sagrada Escritura nos diz que quando uma pessoa advertida de seu erro prefere persistir nele, deve ser tratada como um pecador público, ou seja, um excomungado.

Na verdade nós todos precisamos de conversão, o católico que não se reconhece necessitado de conversão é porque está obstinado no pecado da soberba, só a partir do momento que nos reconhecemos necessitados de conversão, é que nos abrimos à ação de Deus em nossa vida. Portanto, existem muitos católicos que precisam de conversão, na verdade todos os católicos precisam, pois ninguém está pronto para adentrar na morada eterna.

 

 

3 Comentários

  1. Mela Paes disse:

    Excelente!
    Frei Marcelo Aquino sempre incrível em seus textos🙏

  2. Creusa disse:

    Os seus textos são marcados pela verdade….sem medo de dizer o que é preciso..
    Bjs precisamos mais do que nunca de sacerdotes autênticos….sua bênção.

  3. Creusa disse:

    Os seus textos são marcados pela verdade…sem medo de dizer o que é preciso.
    Hoje precisamos mais do que nunca de sacerdotes autênticos…sua bênção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *